quinta-feira, 16 de novembro de 2017

Valle de la Puerta

O Valle de la Puerta foi estabelecido em 1994. Hoje, o estabelecimento aproveita quase mil hectares de vinhas e oliveiras no Vale da Famatina, na região de La Rioja, a cerca de 754 milhas a noroeste de Buenos Aires. As vinhas são distribuídas entre 1000 e 1250 metros de altura, num vale onde se tem vista para as cadeias de Velasco e Famatina.





Esse vale único oferece um magnífico cenário visual, com dias de verão quentes e secos e noites frescas, combinados com o ar limpo e a topografia do vale do deserto para garantir excelentes condições de amadurecimento para uvas e azeitonas.  
A adega foi construída em 2002, sendo uma das vinícolas mais modernas e tecnologicamente avançadas do seu tipo na Argentina. E foi em 2005 que foi inaugurada a fábrica de azeite. 

Um passeio mágico ....
As vinhas, o pomar de oliveiras e vinícolas podem ser visitas com bicicletas ao ritmo de cada pessoas. Ou, pode-se visitar através de visita guiada, com carros.



Mais informações no site: Valle de la Puerta

Confira a linha de vinhos La Puerta no botão abaixo :)


 La Puerta

quarta-feira, 1 de novembro de 2017

Circuito Enogastronômico Brasil é sucesso na Boccati

550 pessoas estiveram presentes na concorrida noite
que reuniu vinhos, gastronomia e cultura

O Circuito Enogastronômico Brasil, realizado pela Boccati, recebeu 550 pessoas na loja e na adega subterrânea, em Caxias do Sul, na última sexta-feira, 27 de outubro. O evento apresentou mais de 70 rótulos entre vinhos e espumantes brasileiros de mais de 20 vinícolas.


A gastronomia ficou por conta da Escola de Gastronomia Sal a Gosto, restaurante Osaka Culinária Japonesa, pães de Pane & Salute e queijos RAR. Para sobremesa, doces típicos brasileiros preparados pela chef Ana Ditadi, café Bom Jesus e sorvetes da Sorvelândia.



 

 

Os lounges temáticos contaram com atrações especiais como o samba de Dan Ferreti e Espaço de Dança André Ribeiro; MPB com Sandro Stecanela e o sertanejo de Cris Bianco. Para relaxar, quick massage. Além disso, o evento contou drinks da Tropical Bartender's, totem e painel fotográficos.


 
 
 

O Circuito Enogastronômico Brasil é o oitavo realizado pela Boccati com o objetivo de difundir os vinhos do mundo. Desde 2014, o evento vem contemplando excelentes vinhos e foi um sucesso de público e crítica nas edições da Itália, Espanha, Brasil, Portugal, América, Argentina, Europa e novamente, contemplando os vinhos nacionais, Brasil.

VEJA O VÍDEO DO EVENTO

VEJA TODAS AS FOTOS DO EVENTO

 Fotos

quarta-feira, 25 de outubro de 2017

Qual teria sido o vinho da última ceia?


Protagonista em muitos trechos bíblicos, o vinho ainda é um forte símbolo do cristianismo. E se em um exercício os aspectos religiosos fossem colocados de lado, e uma análise focada na bebida crística, fosse feita. Quais seriam as preferências dos consumidores de vinhos na época em que Jesus viveu?
Arqueólogos e historiadores já encontraram provas substanciais de vinificação nas regiões que Jesus teria percorrido. Para o arqueólogo Patrick McGovern, professor do Museu de Arqueologia da Universidade da Pensilvânia, o vinho servido na Última Ceia poderia ter sido muito semelhante ao Amarone de hoje, com base em evidências existentes sobre as práticas de vinificação na área naquele momento histórico.
A literatura sobrevivente diz que os vinhos locais da antiga Jerusalém e Judá foram descritos como escuros e ricos. McGovern relata ainda que o vinho das terras altas da Transjordânia central era notoriamente tão forte que “induzia o corpo a pecar".
De acordo com o pesquisador, apenas os melhores vinhos eram envelhecidos e bebidos puros. A maioria era misturada com água ou mesclada com uma gama de especiarias e ervas, como pimenta, absinto, alcaparras e açafrão, o que sugere uma semelhança com os contemporâneos coquetéis à base de vinho e as versões de mulled wine, ou vinho quente, por aqui.
No Evangelho de Marcos, um vinho de mirra é oferecido a Jesus depois que os soldados o vestiram e ele se recusa. A mirra e outras resinas de árvores exóticas provavelmente teriam sido adicionadas aos vinhos do período.
Segundo o pesquisador, a ideia não era apenas encobrir os sinais de um vinho em deterioração, embora isso fosse um incentivo adicional, mas, sim, manter os vinhos por mais tempo e produzir novos e excitantes gostos para os paladares cansados.
Outros pesquisadores também estão analisando as características dos vinhos apreciados há 2.000 anos. Guy Bar-Oz, do Instituto Zinman de Arqueologia da Universidade de Haifa de Israel, escolheu uma abordagem mais técnica para a análise, e está investigando o DNA de restos de sementes de uva para aprender mais sobre técnicas de vinificação no período.
A hipótese inicial sobre vinhos antigos da região do Negev, no sul de Israel, é que eles podem ter sido bastante poderosos; uma vez que uma característica da região é grande insolação e salinidade do solo. 
A fotossíntese elevada e a pressão osmótica devido à salinidade do solo produzem uvas doces com grandes quantidades de açúcar. Então, talvez a qualidade do vinho do Negev tenha sido obtida por seu maior teor de álcool. É o que explica Bar-Oz, alertando que ainda é apenas uma especulação; uma vez que a pesquisa ainda está em andamento.

Fonte

sexta-feira, 20 de outubro de 2017

6 pratos comuns para serem harmonizados com vinhos


Muitas pessoas acreditam que um bom vinho só pode ser degustado na companhia de pratos sofisticados. Mas, aí que se enganam... Em entrevista para a Revista Exame, o especialista em harmonização Rodrigo Bertin desmitifica o mito: “Quando utilizado junto da comida, seja ela qual for, o vinho tem a capacidade de complementar o alimento, ampliando o sabor da comida e preparando as papilas gustativas para receber a próxima garfada ou mordida”, explica.

Confira 6 pratos do dia a dia que podem ser harmonizados perfeitamente com vinho:

1 – Pastelzinho
Pode ficar ainda melhor quando se utiliza um bom vinho, pois ele limpa a gordura da fritura de nossa boca e combina muito bem com os mais variados recheios. Combina com vinho tinto e as uvas mais indicadas são Pinot Noir, Carmenère e Merlot.

2 – Frango à passarinho
Quando harmonizado com um vinho também diminui a gordura. Neste caso, indica-se um vinho tinto ou branco bem jovem e frutado, de uvas Pinot Noir, Merlot ou Chardonnay.

3 – Calabresa acebolada:
 No caso da calabresa acebolada, o vinho tende a diminuir o gosto forte dela e limpar o paladar. Para esse tipo de prato, são indicados vinhos tintos de uvas mais potentes, como a Cabernet Sauvignon, Malbec ou Shiraz.

 
4- Pão com Mortadela:

Um dos sanduíches mais clássicos do Brasil também pode ser degustado na companhia de um bom vinho. A bebida diminui o sabor pungente da mortadela, ajudando na digestão. O vinho tinto de médio corpo das uvas Carmenère, Malbec ou Tempranillo é o que melhor harmoniza com o lanche.


5 – Macarrão com salsicha: 
Nesse caso, deve-se utilizar um vinho tinto leve e bastante jovem, como os feitos com as uvas Sangiovese, Merlot ou Pinot Noir.

6 – Arroz, feijão, e ovo frito:
A combinação clássica de arroz, feijão e ovo também pode ser servida com uma taça de vinho. O melhor vinho para esse prato seria um espumante branco Brut.

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

Boccati promove imersão enogastronômica com a temática Brasil

Seguindo a tradição dos Circuitos Enogastronômicos,
a Boccati desenvolve a oitava edição do evento


Na noite de 27 de outubro, a Boccati realizará o Circuito Enogastronômico Brasil. Serão nove mesas com mais de 70 rótulos de vinhos e espumantes brasileiros.
“Além de proporcionar aos nossos clientes uma experiência incrível no mundo do vinho, com a presença de 21 vinícolas, queremos trazer ao evento a diversidade cultural e gastronômica do nosso país, através de atrações típicas e lounges temáticos”, afirma o sócio-proprietário da Boccati, Julio D´Agostini.
Para o gerente de Promoção do Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin), Diego Bertolini, o Circuito Enogastronômico Boccati propiciará que os consumidores da Serra Gaúcha conheçam mais sobre a diversidade da produção brasileira, incluindo rótulos com Indicações de Procedência e Denominação de Origem. “Cada região produtora desenvolveu sua especialidade, elaborando vinhos e espumantes com cultura, tipicidade e sotaque próprios. Os produtos brasileiros são jovens, autênticos, modernos e descomplicados, tendo opções para todos os gostos. Além de iniciativas como essas, ficamos felizes em saber que Boccati é uma das principais lojas e revendedoras do vinho brasileiro no Rio Grande do Sul e é sempre bom ter os rótulos verde-amarelos em seu portfólio”.
Os rótulos serão harmonizados com pratos típicos preparados pela Escola de Gastronomia Sal a Gosto, pães da Pane e Salute e do restaurante Osaka Culinária Japonesa. Para sobremesa, doces típicos preparados pela chef Ana Ditadi, café Bom Jesus e sorvetes da Sorvelândia. Os pratos serão supervisionados pela nutricionista Carolina Rizzon.
Das 20h às 00h, o público poderá circular pelos lounges com temáticas do Brasil e apreciar apresentações artísticas, tais como: Samba com Dan Ferretti e Espaço de Dança André Ribeiro, MPB com Sandro Stecanela, música sertaneja com Cris Bianco e outras atrações como totem fotográfico, quick massage e drinks com Tropical Bartenders.
Haverá estacionamento com segurança e manobrista além de uma parceria com frota de táxi.

O que: Circuito Enogastronômico Brasil.
Quando: 27 de outubro, das 20h às 00h.
Onde: Boccati (Rua Antônio Ribeiro Mendes, 2043, bairro Santa Catarina, Caxias do Sul – RS).
Quanto: R$150,00. Os Ingressos podem ser adquiridos na loja física ou virtual – www.boccati.com.br

As vagas são limitadas. Para informações (54) 3224-9900 ou boccati@boccati.com.br


CONFIRA O CARDÁPIO E LISTA DE VINHOS

CARDÁPIO

Mesas Frias 

- Frios variados.

Por Sal a Gosto:
 - Sanduíche de mortadela;
- Mix Nuts;
- Patês artesanais.

Por Pane e Salute:
 - Pães Artesanais.

Por RAR:
 - Queijo Gran Formaggio.

Por Osaka Culinária Japonesa:
 - Ceviche de Salmão;
- Sashimi de Salmão, Atum e Peixe Prego;
- Sushi de Salmão, Jou Salmão e Jou Thizio;
- Uramaki de Salmão e Skin;
- Hossomaki de Salmão.

Finger Food 

Por Sal a Gosto:
 - Aipim frito;
- Bolinhos de bacalhau;
- Linguiça campeira acebolada.

Pratos Quentes 

Por Sal a Gosto:
- Cocadinha Cremosa;
- Arroz carreteiro;
- Farofa caseira;
- Feijoada gourmet.

Mesa de Doces 

Por Chef Ana Paula Ditadi: 
- Brigadeiro de Chocolate 70%;
- Brigadeiro de Açaí com Granola;
- Mousse de Paçoquinha;
- Tartelette de Cappuccino.

VINHOS

Mesa 1 – (Região Garibaldi)

- Garibaldi Pinot Noir Brut Rosé;
- Garibaldi Prosecco;
- Garibladi VG Extra Brut;
- Peterlongo Presence Brut Rosé;      
- Peterlongo Armando Memoria Merlot;
- Chandon Brut Reserva;                                                  
- Chandon Passion Rosé;
- Chandon Excellence Cuvée Prestige;               
- Peterlongo Elegance Champagne Brut.

Mesa 2 – (Pinto Bandeira/Antônio Prado/Campos de Cima da Serra)

- Valmarino Brut Prosecco;
- Zanella Espumante Nature;
- Fazenda Santa Rita Merlot Rosé;
- Fazenda Santa Rita Sauvignon Blanc;   
- Don Giovanni Stravaganzza Brut;
- Fazenda Santa Rita Pinot Noir;
- Zanella Chardonnay;   
- Zanella Percentual;                                                                           
- Don Giovanni Nature;                                                           
- Valmarino e Churchill Brut Champenoise;                    
- Don Giovanni Brut Ouro;
- Valmarino Cabernet Franc;                            
- Valmarino Reserva da Familia.                  
        
Mesa 3 – (Campos de Cima da Serra)

- RAR Collezione Sauvignon Blanc;
- RAR Cuvée Nilva Brut Rosé;   
- RAR Collezione Pinot Noir;      
- RAR Reserva de Família Cabernet Sauvignon/Merlot.   

Mesa 4 – (Vale dos Vinhedos)

- Vallontano Chardonnay;
- Pizzato Chardonnay;
- Pizzato Reserva Merlot;
- Terragnolo Reserva Marselan;   
- Pizzato Brut Rosé;
- Terragnolo Reserva Merlot;
- Vallontano LH Zanini Espumante Extra Brut;   
- Pizzato Fausto Verve Gran Res Cab Sauv Merlot Tannat;
- Era dos Ventos Trebbiano on The Rock;
- Vallontano Oriundi;
- Terragnolo Marselan Boulder.

Mesa 5 – (Vale dos Vinhedos)

- Aurora Reserva Merlot Rosé;
- Aurora Pinto Bandeira Pinot Noir;
- Aurora Millesime Cabernet Sauvignon;
- Miolo Brut Millésime;
- Miolo Cuvée Giuseppe Chardonnay;                                                  
- Miolo Merlot Terroir;
- Miolo Lote 43 Merlot Cabernet. 

Mesa 6 – (Vale dos Vinhedos/ Garibaldi/ Faria Lemos)

- Ponto Nero Brut Rosé;
- Dal Pizzol Gamay Beaujolais;
- Casa Valduga Identidade Gewurztraminer;               
- Dal Pizzol Touriga Nacional 200 anos;
- Dal Pizzol Pinot Noir;    
- Casa Valduga Sur Lie Nature 30 Meses;
- Ponto Nero Brut Blanc de Blancs;                   
- Casa Valduga Gran Reserva Villa Lobos;
- Casa Valduga Storia Merlot Gran Reserva 2011.
             
Mesa 7 – (Flores da Cunha)

- Familia Bebber Sentiero Reserva Cabernet Franc;
- Familia Bebber Sentiero Reserva Tannat;
- Familia Bebber Vero Brut Rosé;  
- Luiz Argenta Jovem Gewurztraminer;                          
- Luiz Argenta Jovem Shiraz;
- Luiz Argenta Cave Corte.  

Mesa 8 – (Casca/ Farroupilha/ Alto Feliz)

- Don Guerino Brut Rosé;
- Don Guerino Torrontés Vintage;   
- Don Abel Chardonnay;
- Casa Perini Cabernet Sauvignon Fração Única;
- Casa Perini Champenoise;
- Don Guerino Malbec Vintage;
- Don Abel Premium Merlot;
- Don Abel Rota 324 Cabernet Sauvignon;           
- Casa Perini Quatro;
- Don Guerino Gran Reserva Traços Top Blend.
   
Mesa 9 (Garibaldi/ Campos de Cima da Serra/ Vale dos Vinhedos/ Vale do Rio São Francisco/ Flores da Cunha/ Farroupilha/ Alto Feliz)

- Peterlongo Moscatel;
- Aurora Moscatel;
- Terranova Moscatel;
- Casa Perini Aquarela Moscatel Rosé;
- Ponto Nero Celebration Moscatel;
- Luiz Argenta Moscatel;
- Don Guerino Prosecco;
- Ponto Nero Moscatel;
- RAR Reserva Brut.

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

Os Vinhos Rosés


Escolha perfeita para os dias quentes, os vinhos rosés se caracterizam pela leveza, frescor e sua harmonização com pratos leves e simples. São vinhos geralmente para serem consumidos jovens, quando sua acidez – principalmente nos mais secos – encontra-se em seu auge.
Os bons rosés são vinificados em branco, ou seja, pelo mesmo processo de vinificação do vinho branco, porém utilizando uvas tintas. A maceração deve, todavia, ser curta (cerca de 24 horas) de modo que não adquiram a coloração dos tintos, mas, uma tonalidade rosada.

Uvas dos vinhos rosés

As principais uvas tintas utilizadas na produção dos vinhos rosés são:
  • Cabernet Sauvignon: a Cabernet Sauvignon é considerada a "rainha das uvas tintas" em todas as partes do mundo. A origem dessa cepa remonta à época da dominação romana, na região de Bordeaux, França. A variedade adaptou-se em terrenos e climas de todo o mundo. Seus frutos se apresentam em pequenos cachos de grãos miúdos (a proporação que apresenta entre semente e polpa é de 1/2), sua pele é dura, azul-escura com reflexos esbranquiçados, seu sabor é herbáceo. 
  • Grenache: é uma das cepas tintas mais cultivadas no mundo. É a mais importante cepa no Sul da França, no vale do Ródano, onde é tipicamente usada para fazer tintos frutados e rosés secos.
  • Merlot: a uva Merlot é uma variedade proveniente de Bourdeaux, França, sobretudo de Saint-Émilion e Pomerol. Variedade produtora de vinho tinto, adaptou-se perfeitamente às regiões de menor altitude da Serra Gaúcha.
  • Pinot Noir: é uma variedade sensível que deve receber trato especial por ser bastante vulnerável a variações de clima e ambiente. Seus frutos são pequenos, de suco generoso e com pele de coloração azul-escura que tinge o mosto de rubi-violeta durante a fermentação.
  • Syrah: uvas com bagas escuras, quase negras, com casca espessa, que se transformam em vinhos tipicamente escuros, riscos, densos de corpo, com sabores característicos de pimenta, especiarias e frutos, em particular amora, cassis e cereja.

Coloração dos vinhos rosés

Em geral, a coloração dos vinhos rosés pode ser categorizada como:

  • Rosa-cereja: uma das mais belas colorações, proveniente de uvas maduras de coloração mais intensa e de um tempo maior de maceração em contato com as casas. Vinhos desta cor tendem a ser mais encorpados que os demais;
  • Rosa-salmão: é a coloração mais frequente entre os vinhos rosés, que é o resultado de uma vinificação onde há pouco contato com a casa. Em boca é um vinho frutado e pronto para beber;
  • Rosa-pálido: essa tonalidade representa vinhos obtidos através de uvas tintas pouco maceradas. Normalmente se trata de um vinho produzido com uma variedade de pouca intensidade de cor. Devem ser consumidos jovens para manter seu frescor;
  • Rosa casca de cebola: pode ser proveniente da coloração de certas castas ou do próprio processo de vinificação. Se não apresentar aspecto brilhante, indica início da oxidação do vinho.
(rosa-cereja, rosa-salmão, rosa-pálido e rosa casca de cebola)

Conservação dos vinhos rosés

Para garantir a qualidade de seu vinho rosé, aconselha-se armazenar na temperatura de 8-10ºC rótulos leves e, de 10-12ºC rótulos encorpados.

Taça para degustar vinhos rosés

Pode-se utilizar a mesma taça para degustar vinhos rosés. Porém, a empresa Riedel desenvolveu a taça ideal, chamada Vinum Extreme, que revela os aromas específicos e contribui para manter a frescura da bebida por mais tempo.
(Na Boccati você encontra a linha de taças Riedel - consulte mais informações: boccati@boccati.com.br)

Para harmonizar com vinhos rosés

Os rosés oferecem imensas possibilidades de harmonização gastronômica. Aconselha-se harmonizar com pratos variados como Paella, lulas abafadas, frango grelhado, massas italianas com vegetais, omeletes, verduras gratinadas, salada de atum, salmão grelhado, sanduíches naturais, frutas e sobremesas.

quinta-feira, 5 de outubro de 2017

Boccati lança Catálogos 2017 | 2018


Boccati lança novo catálogo de Presentes Marcantes
O tradicional catálogo é lançado no mercado com opções que agradam todos os bolsos

Com o objetivo de apresentar as diversas opções de presentes empresariais, a Boccati lança o novo catálogo Presentes Marcantes. A ideia de estar frente ao cenário corporativo demonstra o compromisso de levar qualidade e sofisticação às empresas.
Elaborado pela Boccati, o catálogo chega às mãos de mais de 10 mil clientes de todo o Brasil no mês de setembro. Considerado uma referência em presentes corporativos, é dividido nas seções: Presentes Empresarias Prime, Presentes Empresariais Premium, Vinhos Nacionais e Importados, Utilidades para o Lar, Produtos Exclusivos Boccati e Kits elaborados especialmente para o Natal, novidade deste ano. Com opções de lembrancinhas a partir de R$2,30 a produtos de R$2.000.


O catálogo impresso 2017/2018 pode ser solicitado através do e-mail boccati@boccati.com.br. Confira a versão virtual no botão abaixo:

 Catálogo Presentes Marcantes

Boccati lança novo catálogo de Produtos Exclusivos
Com muitas novidades e opções personalizáveis, produtos são lançados no mercado

Com o objetivo de apresentar a ampla gama de produtos, a Boccati lança o catálogo Produtos Exclusivos 2017/2018, com a linha completa de champanheiras, copos, taças, acessórios para vinhos e espumantes.
Elaborado pela Boccati, o catálogo chega às mãos de mais de 5 mil clientes de todo o Brasil no mês de outubro. As novidades principais desta edição são os copos com tampa e canudo e as taças Inject Blow, tecnologia exclusiva e única no Brasil, inspirada na tendência do verão europeu.
Além dos copos e taças, também ganham destaque as champanheira, os pedestais e os acessórios para bebidas; perfeitos para grandes eventos, casas noturnas, ações de merchandising, presentes corporativos, decoração e também, para degustar em casa. Os produtos, alguns de fabricação ou importação própria e design exclusivo levam a marca Boccati. São mais de 600 opções que podem ser personalizadas.


O catálogo impresso 2017/2018 pode ser solicitado através do e-mail boccati@boccati.com.brConfira a versão virtual no botão abaixo:

Produtos Exclusivos