terça-feira, 21 de março de 2017

O guia do vinho para os #beerlovers

Cerveja e vinho são duas bebidas alcoólicas. As duas produzidas a partir da fermentação. As duas consumidas há milhares de anos pelo homem.

Quando pensamos em um happy hour com amigos, a primeira ideia que nos vem à cabeça é cerveja, não é? Mas, também existem vinhos perfeitos para beber em qualquer circunstância, inclusive em um bate papo informal com amigos :)

Gosta de cerveja, mas quer experimentar vinho?

Saiba qual vinho escolher nas dicas abaixo:


Se você gosta de...

PALE ALE experimente PINOT NOIR

PILSNER experimente PINOT GRIGIO

LAGER experimente CHIANTI

IPA experimente SAUVIGNON BLANC

RED ALE experimente ZINFANDEL

DOPPELBOCK experimente MERLOT

PORTER experimente SYRAH

STOUT experimente CABERNET SAUVIGNON

BARREL AGED experimente VINHO DO PORTO

SIDRA experimente CHAMPAGNE

terça-feira, 14 de março de 2017

Como a luz influencia o vinho?


A graduação alcoólica e a acidez são elementos importantes para que um vinho seja de qualidade; por isso, são levadas em conta na decisão de iniciar a vindima, que é condicionada pelo equilíbrio de açúcares (que se tornarão álcool após a fermentação) e a acidez existente nas uvas.
Os produtores se empenham para colher uvas maduras. Entende-se por maduras, uvas com potencial alcoólico entre 11% e 13% - conforme o tipo de vinho, de 9% a 15%. Há diversos fatores que influenciam na graduação alcoólica de um vinho, tais como: a latitude, a altitude, a exposição e a condução da vinha, as condições climatéricas, as castas, o índice de produção, a poda e a fertilização, entre outros.
O álcool provém um paladar doce e uma textura macia ao vinho. Já os taninos, com seu amargor, dão um textura rugosa; e os ácidos, aumentam a aspereza. Assim, os vinhos mais ásperos são aqueles ricos em taninos e ácidos, tendo percentual alcoólico relativamente baixo.
Algumas regiões europeias com verões quentes, por exemplo, favorecem as maturações rápidas. Com isso, as uvas sintetizam grandes quantidades de açúcar e perdem boa parte de seus ácidos, então, boa parte desses vinhos necessitam de correção de mosto antes de iniciar a fermentação. Em outras regiões, as uvas não perdem acidez, mas também não conseguem atingir níveis de álcool elevados.

Dessa forma, entenda como a luminosidade e o sombreamento afetam a produção do vinho:

Luminosidade:
Provoca mais açúcares nas uvas;
Maior graduação alcoólica;
Taninos maduros no vinho;
Acidez baixa.

Sombreamento:
Provém açúcares nas uvas;
Menor graduação alcoólica;
Taninos verdes no vinho;
Acidez elevada.

quarta-feira, 8 de março de 2017

Cesta de Gran Formaggio & Mix de Folhas Verdes


Ingredientes:

• Mix de folhas (alface americana, rúcola, chicória e radiccio roxo)
• 01 pimentão vermelho
• 01 pimentão verde
• 12 azeitonas pretas sem caroço
• 200 gramas de ricota
• Suco de 1 limão siciliano
• Cebolinha verde
• Azeite de oliva Campos Gourmet
• Sal
• Pimenta

• 100g de queijo tipo Grana Gran Formaggio em lascas finas

Preparo do Molho de Ricota:

Esmague a ricota muito bem com um garfo até chegar à consistência próxima de um creme, depois misture o suco de limão, 3 colheres de azeite de oliva, cebolinha picada, sal e pimenta a gosto.

Para Cesta:

Divida 200g de Gran Formaggio ralado em 4 porções. Em um pedaço de papel para forno do tamanho de um prato, disponha cada porção de forma a criar um disco de cerca de 10 cm de diâmetro. Coloque cada disco de papel com o queijo no microondas na potência máxima até derreter o queijo, média de 30 segundos. Retire com cuidado e vire com o lado do queijo para baixo sobre o fundo de uma tigela ou prato fundo. Está pronta a cestinha de Gran Formaggio em 2 ou 3 minutos, basta que esfrie.

Para os Pimentões:

coloque os pimentões no forno e deixe assar por cerca de 40 minutos ou até as peles estarem escuras, depois coloque em um saco plástico e deixe esfriar. Quando frio, tire as peles de corte em tiras finas. Dica: Prepare um dia antes e deixe dentro do azeite de oliva e use o mesmo para temperar a salada.

Montagem:

Coloque dentro de cada cestinha uma porção de salada, 3 azeitonas cortadas em rodelas e algumas tiras do pimentão vermelho e amarelo. Finalize com uma boa quantidade de molho de ricota e limão. Após isso, sal e pimenta a gosto. Use lascas de queijo Gran Formaggio para decorar seu prato. 

Bom Apetite!

Fonte: http://www.granformaggio.com.br/Receitas/#!/7/Cesta de Gran Formaggio & Mix de Folhas Verdes

segunda-feira, 6 de março de 2017

Vinho Malbec: Saiba por que os Malbecs Argentinos são especiais



O vinho Malbec, principalmente o argentino, é, sem dúvida, um dos vinhos prediletos dos brasileiros. 

A uva Malbec é originária da região sudoeste da França, especificamente da região de Cahors, próximo a Bordeaux (que também cultiva esse tipo de uva), onde é conhecida pelo nome de Auxerrois ou Côt e é cultivada até os dias de hoje.

Conforme especialistas, o excepcional desenvolvimento da uva Malbec na região de Mendoza ocorreu em razão do conjunto favorável de diversos fatores, tais como geográficos, climáticos e geológicos. A maior exposição da uva ao sol altera a sua maturidade e reduz a sua acidez, tornando-a moderada, o que faz com que o vinho não amarre na boca (é o que os especialistas chamam de taninos maduros).

Apesar de a Argentina ter condições mais favoráveis para o plantio, não é só lá que encontramo a uva Malbec. Ela também é plantada, em menores quantidades, no Chile, na África do Sul, na Austrália, no Canadá, nos Estados Unidos, na Itália, na Espanha, na França, no Marrocos, na Suíça, dentre outros países.

Características do Vinho


A coloração do vinho Malbec é intensa. A cor é escura, puxando para o vermelho e para o violeta. Quando o vinho passa por um período em barril de carvalho, fica mais estruturado e no paladar, de modo geral, mais gostoso de beber, com sabor vivo e sem ‘amarrar na boca’.

O aroma do vinho, por sua vez, varia muito de acordo com o terreno onde a uva foi plantada, bem como do local de origem do barril de carvalho. No geral, tem aromas que lembram frutas vermelhas e ameixas maduras.

Um dos diferenciais dos Malbecs Argentinos é a sua agradável textura na boca. Segundo os especialistas, o cultivo da uva em altitudes mais elevadas, com grande variação de temperatura (noites frias e dias quentes), aumenta a intensidade do sabor e dos aromas e faz com que o vinho argentino tenha uma textura mais aveludada e um sabor muito agradável.

Confira os Malbecs Argentinos que temos disponíveis.

Fonte: http://www.winer.com.br/vinho-malbec-entenda-porque-os-malbecs-argentinos-sao-especiais/

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

Exagerou na bebida? Saiba as melhores formas de curar a ressaca!

O que realmente funciona e o que é lenda para aliviar o enjoo, a dor de cabeça e o cansaço


Às vezes, acontece. No embalo da noite, aquela cervejinha a mais, e o outro dia se transforma na imagem perfeita do inferno. Dor de cabeça, enjoo, indisposição, vontade zero de levantar da cama, vontade de morrer: todos são sintomas da ressaca.

Mas como fazer com que o preço da diversão não seja maior do que a própria curtição? A dica óbvia é beber menos – e, evidentemente, você deve seguí-la. Mas há maneiras de fazer com que o sofrimento da ressaca seja pelo menos um pouquinho menor. Conversamos com o hepatologista Claudio Augusto Marroni, médico do Serviço de Gastroenterologia e Hepatologia da Santa Casa, que nos ajudou a desvendar o que é mito e o que é verdade. Então, tim-tim, e vamos às dicas:

Nada supera a trinca banho, repouso e muita água

Você pode apelar para as artimanhas mais estrambólicas sugeridas por seu amigo de bebedeira, mas nenhuma vai superar a mais simples: tire o dia seguinte para descansar. O álcool tem efeitos que demoram para ser metabolizados, então o ideal é ficar deitadinho, esperando eles passarem – é por isso que os programas de TV no domingo são bem mais longos. Todos nós sabemos também que o álcool desidrata – ou você foi no banheiro 15 vezes na noite passada por quê? –, então é obrigatório tomar muita água no dia seguinte.

Segundo médicos, também é necessário repor eletrólitos, como sódio e potássio. Bebidas isotônicas têm eletrólitos, então podem ajudar.

E a terceira dica é um bom banho, que além de relaxar, vai te deixar novo para começar o dia.

O seu estômago sofreu, então trate ele bem

Se o dia anterior foi forte, dê uma trégua. O seu estômago provavelmente vai estar sensível, então evite comidas pesadas, bebidas que não sejam suaves e remédios muito fortes. A Aspirina causa irritação gástrica, por isso não é a melhor opção.

Nada de café ou outros estimulantes – o negócio é relaxar

Além de entrar no item anterior, o café ainda é estimulante. E, como vimos, o que você menos quer durante a ressaca é ser estimulado. Então, apesar de ajudar a acordar e fazer com que você levante e ponha as coisas em ordem, o café vai potencializar o mal-estar e o desconforto. A dica é evitar qualquer bebida que tenha cafeína, a não ser que seja imprescindível.

Não é necessário tanto sofrimento: antieméticos e paracetamol estão aí para ajudar

Se nada disso der certo, não é nenhum pecado tomar algum remédio que ajude na recuperação – ou que pelo menos diminua as mazelas da ressaca. Para um enjoo muito forte, um antiemético (remédio que alivia os sintomas de náusea) cai bem. Se a dor de cabeça está muito forte, por que não apelar para um analgésico, como o paracetamol?

Fonte: http://zh.clicrbs.com.br/rs/vida-e-estilo/vida/bem-estar/noticia/2014/10/exagerou-na-bebida-saiba-as-melhores-formas-de-curar-a-ressaca-4630853.html

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Top 5: a lista dos cinco vinhos mais caros do mundo



Confira a lista dos mais caros vinhos do mundo, conhecida como Top 5, com comentários de Ennio Federico, um dos melhores e mais respeitados enófilos deste país:

Champagne Heidsieck Monopole Diamant Bleu 1907: Também conhecida como “Shipwrecked” 1907 Heidsieck, pertence a um lote recuperado de um navio naufragado durante a Primeira Guerra Mundial. Das 3 mil garrafas enviadas para a corte imperial do tzar Nicholas II, apenas poucas em estado perfeito foram retiradas do mar em 1997. Esse champanhe é servido para os membros da elite russa e clientes abastados no hotel Ritz-Carlton, em Moscou, por US$ 275,000 cada garrafa.

Château Lafite 1787: Em 1985, o publicitário Christopher Forbes, filho de Malcom, da Forbes Magazine, comprou essa garrafa num leilão em Nova York por US$ 160,000. Acredita-se que tenha pertencido ao presidente Thomas Jefferson, pois as iniciais THJ se encontram gravadas no vidro. Hoje, como valioso item de colecionador, essa garrafa deve alcançar o preço aproximado de US$ 315,000.

Château Margaux 1787: Um vinho caro para nunca mais ser vendido. Em 1989, outra garrafa também da coleção de Thomas Jefferson foi avaliada pelo seu proprietário, um negociante de vinhos de Nova York chamado William Sokolin, por um preço astronômico: US$ 500,000. O alto preço pode ter sido um golpe de publicidade, mas nunca foi testado. Quando Sokolin levou o vinho consigo para um jantar somente com Margaux no hotel Four Seasons, um garçom, descuidadamente, derrubou a garrafa quebrando-a. Por sorte, o vinho estava no seguro, e ele recebeu US$ 225,000. Ainda bem!

Romanée-Conti 1945: É um dos vinhos mais caros já vendidos num leilão de vinhos raros da Christie´s, em Genebra. Outro colecionador americano arrematou a garrafa por US$ 123,899 em maio de 2007. Somente 600 garrafas desse vinho foram produzidas no final da Segunda Grande Guerra, sendo a safra de 1945 a última na qual a colheita foi feita em vinhas pré-phylloxera não enxertadas.

Screaming Eagle Cabernet 1992: Uma garrafa de formato imperial (6 litros) desse vinho tecnicamente alcançou o maior preço já pago por uma garrafa de vinho. Entretanto, é preciso considerar que a finalidade do Napa Valley Wine Auction 2000 era para obras de caridade. A garrafa foi comprada por um executivo de uma empresa de informática por US$ 500,000.

Confira mais histórias e curiosidades sobre vinhos no Livro Vinhos: histórias, particularidades e seus destilados da Coleção Enogastronômica da Boccati.


segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

14 de fevereiro é dia de celebrar o amor



O dia 14 de fevereiro marca o Valentine’s Day, o dia dos namorados, para a maior parte do mundo. Antes de envolver chocolates, cartões com mensagens fofas ou flores e, com sorte, muito amor, sua história teve origem no Império Romano.

Na época, o general Cláudio II havia proibido o casamento durante as guerras porque ele acreditava que solteiros eram soldados melhores. Foi aí que o bispo Valentim resolveu dar uma mão aos apaixonados. Ele burlou a norma e ajudou os casais unindo-os em matrimônio.

O santo foi descoberto e condenado à morte. A história dá conta de que, enquanto estava preso, recebeu diversas cartas de jovens que afirmavam ainda acreditar no amor. Encarcerado, ele acabou se apaixonando pela filha cega de um dos guardas da prisão. Antes de morrer, ele teria devolvido a visão a ela de forma milagrosa.

Valentim foi morto em 14 de fevereiro e reconhecido como mártir pela Igreja Católica. Curiosamente, este dia marcava a celebração, na Roma Antiga, de Juno – deusa da fertilidade – e Pan – da natureza. 
No Brasil, o motivo pelo qual o dia dos namorados é comemorado em 12 de junho é bem menos sentimental. Até 1949, não existia essa comemoração por aqui.

Mesmo assim, a escolha não foi totalmente aleatória: ela marca a véspera do dia de Santo Antônio, o famoso frei português que ganhou fama de “casamenteiro”.

Curiosidades:


  • Cerca de 35 milhões de chocolates em forma de coração são comprados no mundo na data. São produzidas 8 bilhões de balas em forma de coração todos os anos. Os namorados trocam 50 milhões de rosas todos os anos no Valentine’s Day (75% delas são compradas por homens).
  • Os norte-americanos compram 1 bilhão de cartões no Valentine’s Day. É o maior volume de vendas de cartões do ano (supera até os tradicionais cartões de Feliz Natal). Quem mais recebe esses cartões, nessa ordem, são: professoras, filhos, mães, esposas, namoradas e bichos de estimação.
  • A cidade italiana de Verona, palco do romance “Romeu e Julieta” de William Shakespeare, recebe no dia 14 de fevereiro milhares de cartas endereçadas a Julieta.
  • Mais de 9 milhões de pessoas compram presentes para seus animais de estimação no dia dos namorados.
  • Nos Estados Unidos, estima-se que 15% das mulheres recebem flores enviadas por elas mesmas no dia dos namorados. Estranho né?!
  • 220 mil é o número aproximado de pedidos de casamento no dia dos namorados todos os anos.


Mesmo que não seja habitual, por que não celebrar o Valentine’s Day também no Brasil? Afinal, dizer eu te amo e abrir uma boa garrafa de vinho para comemorar é sempre muito bom e todo mundo adora! 

Conheça aqui nossas opções de vinhos para desfrutar com seu amor!